NÃO atendemos UNIMED
ou outros convênios

Dermatologia Clínica

Intradermoterapia Capilar

Intradermoterapia Capilar. Perder alguns fios por dia é considerado normal. Em média, cento e vinte fios de cabelos caem diariamente para dar oportunidade para novos fios nascerem. Quando há uma perda além disso, pode ser resultado de diversos fatores que vão desde fatores externos a genéticos. A procura por um dermatologista é essencial para diagnosticar os motivos que levam os fios a se desprenderem com tanta facilidade.

As principais causas de queda de cabelo incluem: alterações hormonais, uso de antidepressivos, infecções, doenças sistêmicas causadas por vírus ou bactérias, diabetes, doenças degenerativas, pós-parto ou pós-cirúrgico, por exemplo. Outros fatores externos como exposição ao cloro, vento, calor, uso de secadores, chapinha ou penteados que exigem uma tensão maior dos fios, dentre outros.

Dentre os diversos tratamentos existentes para o tratamento da queda de cabelo, uma bastante utilizada nos consultórios dermatológicos é a intradermoterapia capilar. Também conhecida como mesoterapia, a intradermoterapia foi desenvolvida em 1952, na França, e consiste na aplicação por meio de agulhas finas e curtas (corte italiano) que contêm medicamentos que são aplicados na região capilar, tendo efeito local e mais duradouro. Esse método farmacológico visa que a medicação aja diretamente no local, evitando passar pelo sistema digestivo e circulatório, como acontece com as medicações via oral, as quais antes de chegar ao local desejado passam por todo o sistema, desperdiçando boa parte da dose e aumentando o risco de efeitos colaterais.

Principais Indicações para intradermoterapia capilar

– Diferentes causas de eflúvio telógeno, ou seja, queda de cabelos devido a fatores emocionais como o estresse, falta de nutrientes devido à má alimentação, alterações hormonais, dentre outras.
– Prevenção da calvície em pacientes geneticamente predispostos (alopécia androgenética masculina ou feminina).

Contraindicações intradermoterapia capilar

– alergias às substâncias ativas
– infecções ou inflamações no local da aplicação
– gestantes ou mulheres em período de amamentação

Como é feita a aplicação da intradermoterapia capilar:

A aplicação é feita em consultório médico, por um dermatologista qualificado e certificado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, que irá diagnosticar e escolher a combinação de medicamentos mais eficaz para ser aplicada para cada caso.

As aplicações são realizadas em pequenas doses por toda a extensão da região selecionada. A combinação do medicamento com o efeito estimulante das picadas da agulha, favorece a vasodilatação e o fortalecimento dos bulbos capilares.

De acordo com cada caso podem ser associados substâncias que estimulam o crescimento e diminuem a queda capilar, como a finasterida, o minoxidil, o d-pantenol, o silício orgânico, a biotina, a n-acetil-cisteína, vitaminas, aminoácidos e sais minerais, fatores de crescimento, dentre outros.

Alguns casos mais graves e persistentes podem exigir uma associação de medicamentos orais ou tópicos para aumentar a qualidade do resultado terapêutico.

As aplicações podem durar em torno de dez a quinze minutos e costumam ser divididas em 10 sessões. A periodicidade das aplicações depende de cada caso, podendo ser semanais, quinzenais, mensais, etc.

Resultados da intradermoterapia capilar

– Os resultados são graduais e progressivos
– O tratamento estimula a produção e favorece o crescimento de novos fios.
– Ajuda a prevenir novas quedas.
– Os resultados podem ser notados normalmente em torno da quarta ou quinta sessão.

Complicações intradermoterapia capilar

A escolha do profissional ideal é muito importante para resultados seguros.

Podem surgir hematomas no local da aplicação, vermelhidão, inchaço, coceira e dor no local das injeções. Caso isso aconteça, busque ajuda médica para diminuição dos sintomas.

Prevenção da Queda de Cabelo

– Invista numa alimentação adequada para garantir os nutrientes essenciais para a manutenção dos cabelos.
– Evite tomar banhos muito quentes, usar muito frequentemente o secador de cabelo e tratamentos químicos capilares.
– Não prenda o cabelo molhado e evite dormir com ele úmido, assim evitando a proliferação de microrganismos nocivos.
– Evite penteados que tracionam muito a raiz como os rabos de cavalo

Dra. Rafaela Salvato – Dermatologista – Intradermoterapia capilar Florianópolis SC