NÃO atendemos UNIMED
ou outros convênios

Dermatologia Clínica

Dermatite Seborreica

Mais uma variação da dermatite, é a dermatite seborreica é também uma inflamação crônica na pele que causa vermelhidão e ressecamento das regiões afetadas, com escamas esbranquiçadas. Incômoda e pruriginosa, pode causar constrangimento emocional e baixa da autoestima pela inibição social. Não é contagiosa e normalmente aparece no rosto, couro cabeludo e colo (tórax).

É uma doença crônica, de origem genética, relacionada a fatores externos irritantes e mais comum em estações de clima frio e seco. Locais onde a pele e o couro cabeludo são mais oleosos tendem a ser mais afetados. Além disso, fatores emocionais como estresse e cansaço parecem contribuir para a piora das crises. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a presença de um fungo, a Malassezia spp., também pode provocar e/ou piorar as crises de dermatite seborreica, mas seu papel não está totalmente elucidado.

Recém-nascidos também podem apresentar a doença, principalmente no primeiro ano de vida, devido principalmente ao hormônio materno ainda presente. Nessa fase é também chamada de crosta láctea e alguns cuidados ajudam na eliminação, como passar óleo mineral antes de remover a crosta suavemente do couro cabeludo. Compressas com amido de milho também ajudam a aliviar os sintomas.

As glândulas sebáceas sofrem ação dos hormônios androgênicos, por isso sua incidência é maior após a puberdade, quando esses hormônios são produzidos em maior quantidade.

O diagnóstico é geralmente clínico. Não existe uma cura definitiva para a doença, mas há medicações que melhoram a qualidade de vida dos pacientes e controlam as crises recorrentes. Casos em que a doença apresente uma piora importante e rápida devem ser relatados ao médico, pois algumas doenças sistêmicas causam este tipo de manifestação na pele, principalmente por alterações na imunidade.

Sintomas da dermatite seborreica

A doença geralmente piora no inverno e em situações de estresse físico e emocional. Bebidas alcóolicas e banhos muito quentes também pioram o quadro.

Coceira, vermelhidão da pele, escamas brancas como as caspas e escamas amareladas que são oleosas e causam ardência no local, oleosidade na pele e no couro cabeludo também são fatores que podem indicar o início dessa dermatite.

Tratamento dermatite seborreica

O tratamento é feito de acordo com o grau de comprometimento da pele. Consulte um dermatologista para a orientação necessária para o tratamento dessas lesões. Exames complementares como o exame micológico direto, biópsia e teste de contato podem ser solicitados pelo médico. Não existe cura para a dermatite, mas os tratamentos são geralmente eficazes e conseguem diminuir a frequencia das crises de acordo com cada idade. Os tratamentos disponíveis no mercado atualmente incluem medicamentos orais ou tópicos para a pele e couro cabeludo, xampus adequados, bem como cremes e loções neutras ou manipuladas.

O quanto antes iniciar o tratamento, melhor a recuperação. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, algumas medidas podem ajudar na prevenção e no combate a crise, como evitar o consumo de alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas; evitar os banhos muito quentes; enxugar-se bem antes de vestir-se e com toalhas macias e felpudas; usar roupas que não retenham o suor como os tecidos sintéticos, que costumam ser contraindicados para quem tem tendência à dermatite seborreica; controlar o estresse físico, mental e a ansiedade; retirar completamente os resíduos de xampu e o condicionador dos cabelos quando lavar a cabeça.

Vale lembrar mais uma vez que a dermatite seborreica não é uma doença contagiosa, nem perigosa e que pode ser controlada com tratamentos corretamente indicados pelo dermatologista.

Se você quiser saber ainda mais sobre dermatite seborreica clique aqui

Dra. Rafaela Salvato – Dermatologista em Florianópolis – Dermatite Seborreica

dermatite seborreica rafaela salvato dermatologia