NÃO atendemos UNIMED
ou outros convênios

Dermatologia Clínica

Suor Excessivo / Hiperidrose

hiperidrose suor excessivo florianopolis

Hiperidrose ou Suor Excessivo

Também conhecida como sudorese excessiva, a hiperidrose é uma condição em que a pessoa transpira excessivamente e de forma imprevisível, mesmo quando a temperatura está baixa, em períodos de descanso ou em momentos em que o emocional é ativado, como crises nervosas, raiva, vergonha ou medo.

As glândulas sudoríparas são células modificadas da pele com a função principal de regular a temperatura corporal e de eliminar toxinas. Podem ser encontradas em quase toda a extensão da pele, com maior concentração nas mãos, pés, rosto, axilas e região inguinal (virilha).

O suor excessivo ou hiperidrose ocorre quando há uma hiperatividade da glândula sudorípara, causando sudorese excessiva e desconforto para o paciente. Pode aparecer na infância, adolescência ou na fase adulta. Não é uma doença grave, mas pode causar importante redução na qualidade de vida do paciente, tendo implicações no convívio familiar e profissional.

Tipos de Hiperidrose – Suor Excessivo

A hiperidrose pode ser primária ou essencial, quando ligada a uma desordem genética, geralmente de origem familiar; ou secundária, quando há outra doença de base causando o excesso de suor, como por exemplo nas alterações hormonais (diabetes, hipertireoidismo, etc) e na obesidade.

A hiperidrose primária aumenta a produção de suor nas mãos, pés e nas axilas e afeta em média de 2% a 3% da população. Não tem causas definidas, mas podem estar ligadas também a fatores emocionais.

A hiperidrose secundária é decorrente de lesões neurológicas e algumas doenças metabólicas. Pode atingir todo o corpo e pode ser causada também por diversos fatores clínicos, como menopausa, doença cardíaca, câncer, síndrome carcinoide, doença de Parkinson ou doença pulmonar, acidente vascular cerebral, tuberculose, distúrbios de controle de glicose, acromegalia, ansiedade ou uso de determinados medicamentos.

Diagnóstico da hiperidrose / suor excessivo

O diagnóstico é clínico, baseado nos sintomas e na história do paciente. Podem ser necessários alguns exames laboratoriais para a exclusão de uma doença de base. Existem algumas opções de tratamento de acordo com o grau de acometimento da doença e principalmente levando em consideração o desconforto de cada paciente. Casos mais leves podem ser tratados com tratamentos tópicos, como cremes e desodorantes. Casos moderados podem ser indicados para o tratamento com toxina botulínica, que reduz de maneira duradoura a eliminação de suor. Esta técnica é indicada principalmente para mãos e axilas. Casos graves podem precisar de tratamento cirúrgico e são encaminhados para a avaliação de um cirurgião especializado.

Procure um dermatologista o quanto antes. Em média, 40% dos pacientes que sofrem a doença demoram ou não buscam ajuda médica, convivendo com o desconforto físico e emocional da sudorese. Exames como o teste com amido e iodo podem ser realizados no próprio consultório para auxiliar a localização e também facilitar a precisão do tratamento.

Alguns outros fatores serão questionados pelo dermatologista a fim de descobrir as causas e os gatilhos que fazem com que a produção de suor aumente descontroladamente. Em todo caso, não deixe de procurar ajuda médica se tiver suor prolongado ou excessivo, sem explicação aparente.

Dra. Rafaela Salvato – Dermatologista – Hiperidrose / Suor Excessivo